05 tendências em gerenciamento e logística da cadeia de suprimentos para 2022.

Como está evoluindo a indústria de logística e o gerenciamento da cadeia de suprimentos - e quais desenvolvimentos você precisa considerar? 

Identificamos as principais áreas de mudança, e aqui nós dividimos para você com 05 das principais tendências que esperamos ver crescendo neste setor em 2022.

1. Equipamentos estão mais automatizados do que nunca

Não faz muito tempo, os veículos autônomos e os robôs autoguiados eram coisa da ficção científica. Até pouco tempo apenas alguns varejistas globais de grandes marcas como a Amazon dispunham dessas tecnologias, agora elas estão popularizando e chegando ao alcance de muitas organizações com funções de logística. 

É provável que de 2022 em diante, os veículos e equipamentos autônomos surjam cada vez mais como uma tendência-chave no setor de logística e cadeia de suprimentos. Equipamentos que vimos cada vez mais automatizados incluem: 

  • Armazenamento automatizado: os sistemas robóticos de separação de pedidos e outras tecnologias de armazenamento permitem que os robôs encontrem, separem e movam o estoque em grandes depósitos - a uma taxa muito mais rápida do que os humanos e com menos risco à segurança.
  • Entrega automatizada: drones de entrega são a peça final do quebra-cabeça de logística, automatizando o Last Mile (item 3 desta pesquisa) de entrega usando drones voadores.  Amazon Prime Air  está liderando o caminho em drones voadores, no Brasil, a empresa de entregas de comida iFood realizou entrega com drone. (confira a matéria)

Automatização e Robôs como esses podem oferecer enormes benefícios, incluindo aumentar a segurança e automatizar tarefas servis e repetitivas - e permitir que os trabalhadores humanos se concentrem em outras atividades que agregam valor. 

2. Tecnologia de nuvem

A tecnologia em nuvem em logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos certamente não é uma tendência nova, mas com a pandemia ocasionada pelo Covid-19, houve um “boom” desde 2020 e provavelmente continuará a ter uma popularidade crescente, principalmente pela difusão do home-office. 

Mundialmente, um aumento no consumo de big data, transformação digital e adoção de 5G contribuíram para esse crescimento monumental e o desenvolvimento da tecnologia de IA (Inteligência Artificial) e Internet das coisas (IoT) contribuirão ainda mais. 

Além das Tecnologias de autoaperfeiçoamento, como ERP ou gerenciamento de estoque, as organizações em logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos também devem buscar tecnologias que as conectem melhor aos clientes e ferramentas de comércio eletrônico B2B. 

Qualquer empresa B2B que ainda dependa de representantes de vendas, reuniões pessoais e telefonemas pode ficar para trás conforme passamos de 2022. A pesquisa realizada pela Gartner mostra que quando um comprador B2B está comparando opções, ele gastará apenas cerca de 5% de seu tempo com representantes de uma empresa individual, ou seja cada vez menos os compradores designam tempo para a visita presencial do vendedor. Enquanto isso, as plataformas de comércio eletrônico desenvolvidas especificamente para colocar o poder nas mãos do cliente e tornar a navegação por seus produtos e serviços podem ajudar a melhorar sua competitividade em 2022. 

3. Last Mile como um serviço estratégico 

Last Mile, traduzindo para o português significa “última milha'', ou seja,  é quando o produto já sai do centro de distribuição mais próximo possível do cliente.  

Atualmente, há muita pressão com relação ao Last Mile (última milha), com os clientes querendo entregas cada vez mais rápidas e precisas por preços cada vez mais baratos. 

Em grandes centros, empresas como o Mercado Livre, Amazon e Magazine Luiza, geralmente são capazes de atender a essas demandas de entregas no mesmo dia, isso significa que as empresas de logística menores devem ser capazes de criar uma rede flexível para atender diversos tipos de demanda, como a variação de demanda versus entregas super-rápidas versus a capacidade de motoristas disponíveis, além de todo o gerenciamento logístico para se manter no mercado. 

Leia TambémMERCADO LIVRE ANUNCIA INVESTIMENTOS PARA AMPLIAR MALHA LOGÍSTICA  

Cada vez mais empresas estão investindo no Last Mile (última milha), o que significa que estamos vendo alguns modelos de negócios diferentes surgindo no mercado, é o caso da Shopee que está construindo o seu primeiro centro de distribuição no Brasil na cidade de Barueri/SP.

O que o Last Mile pode significar para o setor de logística para grandes centros?

2022 será um ano de escolha, você opta por focar sua própria empresa em fornecer diretamente um serviço de entrega de Last Mile  - ou permite que um terceiro cuide disso para você? Dado o foco nesta área e as expectativas do cliente, pode não haver uma terceira opção. A entrega Last Mile tornou-se um foco para muitas empresas - algumas empresas já planejam o uso de drones para conseguir fazer entregas de  forma eficiente.

4. A sustentabilidade continua a ser um foco

A sustentabilidade já apareceu em listas de tendências da cadeia de suprimentos anteriores e é provável que continue aparecendo. Com a COP26 tendo ocorrido em Glasgow em 2021 que tratou sobre as questões da mudança climática, isso é especialmente verdadeiro em 2022. 

A crescente ameaça das mudanças climáticas, juntamente com a pandemia global de COVID-19, fez com que as tendências em sustentabilidade se acelerassem rapidamente, e estamos vendo cada vez mais energia sendo aplicada na busca de soluções duradouras para moldar nosso futuro. A necessidade de mudança sistêmica e repensar radicalmente como as organizações e indústrias funcionam está sendo tratada e estamos vendo ideias ousadas sendo colocadas em ação. 

Hoje em dia, já é comum vermos produtos de consumo sustentáveis substituindo seus equivalentes tradicionais. Da produção de alimentos e moda aos produtos de estilo de vida, uma mudança inegável está em ascensão. É seguro dizer que a demanda por produtos sustentáveis por parte dos consumidores tornará sua produção obrigatória nos próximos anos. 

A realidade é inegável: a sustentabilidade na cadeia de suprimentos está sob o microscópio e as práticas verdes são o futuro. Mas a questão é: quais práticas? 

  • A compensação de carbono se tornará predominante - Compensação de carbono significa compensar a emissão de CO2 ou outros gases de efeito estufa para a atmosfera. Uma compensação de carbono ocorre quando uma empresa ou organização financia projetos de compensação de carbono que removem gases de efeito estufa da atmosfera ou evitam que esses gases sejam liberados na atmosfera. A compensação de carbono pode ser tão simples quanto plantar árvores,  ou mais complexa como por exemplo, investir em tecnologia de captura de carbono.
  • Trabalhar em casa veio para ficar - O estilo de vida de trabalhar em casa é uma das tendências de sustentabilidade menos convencionais, mas é surpreendentemente eficaz. Trabalhar em casa surgiu como uma necessidade durante o COVID-19, mas descobriu-se que trabalhar remotamente também é muito bom para o meio ambiente. Quando trabalhamos em casa, reduzimos o número de carros nas estradas e a energia usada em edifícios de escritórios, reduzindo assim as emissões gerais de gases de efeito estufa e o consumo de combustível fóssil. 
  • A energia renovável ficará cada vez mais barata - Os combustíveis fósseis costumavam ser muito mais baratos do que as energias renováveis, mas isso está mudando rapidamente.
  • Transporte - A busca por um meio ambiente sustentável é parte integrante dos desenvolvimentos de transporte futuros, como os problemas de poluição veicular. Em 2022 espera-se uma popularização ainda maior dos carros elétricos. 

5 - O varejo omnicanal significa que as cadeias de suprimentos devem acompanhar

Varejistas e outros setores de negócios estão se tornando omnicanal,  isso significa que seu objetivo é oferecer a seus clientes uma experiência de compra perfeita, quer eles comprem na loja, online, por meio de seus telefones ou computadores ou por meio de mídia social. Não importa a plataforma, é tudo uma experiência, em vez de canais isolados que não funcionam juntos. Os dados teoricamente são transferidos de um para o outro sem obstrução. 

A cadeia de suprimentos em algumas áreas não está acompanhando essa tendência e isso causará tensão entre as partes - especialmente nesta época em que os clientes esperam uma entrega rápida. 

A transformação digital é a chave para se tornar omnicanal

Aqui, novamente, a transformação digital é a chave, o setor de logística e a cadeia de suprimentos devem ser capazes de gerenciar vários canais de clientes, modelos de atendimento, opções de pagamento e até mesmo instalações, tudo de maneira integrada e interconectada. 

Esse nível de sinergia entre os sistemas físicos e digitais com os processos e treinamento necessários para gerenciá-los - às vezes requer uma transformação significativa. 

Estratégia da cadeia de suprimentos centrada no consumidor

Ser verdadeiramente centrado no consumidor - atender às necessidades do cliente em todos os canais e fundamentar todas as decisões em um entendimento profundo do consumidor - é um objetivo amplamente aceito, mas difícil de alcançar. As armadilhas comuns incluem a falta de escuta dos consumidores e uma cadeia de suprimentos tamanho único, o que leva a uma falta de diferenciação de serviços e, consequentemente, custos mais elevados. 

  • Primeiro, as empresas precisam ser absolutamente claras sobre quais segmentos de consumidores pretendem atender. A maioria das empresas deseja, compreensivelmente, oferecer um ótimo serviço a todos os consumidores em potencial, mas os recursos são limitados; as empresas precisam decidir quais segmentos de consumidores são mais importantes para que possam concentrar seus recursos nos alvos mais importantes. 
  • Depois de identificar seus segmentos-alvo (de preferência por meio de tomada de decisão multifuncional), os participantes do omnicanal precisam descobrir o que entregar a cada um desses segmentos. Essa decisão, por sua vez, determinará de quantos segmentos da cadeia de suprimentos eles precisam. 

Os clientes esperam um frete melhor e mais rápido, enquanto mantêm os preços os mais baixos possíveis e aumentam a sustentabilidade. Isso colocou e continuará a exercer pressão em todas as etapas da cadeia de abastecimento, exigindo uma transformação significativa em quase todas as facetas da indústria. 

Para que qualquer empresa possa competir, especialmente contra grandes multinacionais que se ramificam em logística, nossa pesquisa mostra que a otimização de processos, eficiência e construção de relacionamento serão essenciais em 2022 e nos próximos anos.  

Em conclusão, essas são apenas algumas das tendências mais prováveis  que podem ter um forte impacto no setor de logística. O tempo dirá, se essas tendências para 2022 serão interessantes e podem ser o início de algo genuinamente diferente para o gerenciamento e logística da cadeia de suprimentos.

_____________ ._. _____________

Tags.: Tendências logistica 2022, Tendências suprimentos 2022, cadeia de suprimentos 2022.